Heart of Glass

segunda-feira, dezembro 22, 2008

"Once I had a love

And it was a gas
Soon turned out,
I had a heart of glass

(...)

In between,
What I find is pleasing
And I'm feeling fine,
Love is so confusing
There's no peace of mind

If I fear I'm losing you
It's just no good,
You teasing like you do"

Blondie - "Heart of Glass"
in Parallel Lines (1978)


Tão frágil que parte. De um vidro tão fino, que é como uma pele, transparente, translúcido. Tão frágil, que se apertarmos, dói, e quebra. Nem é preciso cair ao chão.
A mente raramente se aquieta, sempre atormentada, pressionada, aprisionada, confusa.
E o medo de perder. De deixar fugir, como de areia, por entre os dedos.
E acaba tudo como numa praia num dia de Inverno chuvoso - vazio.

E apesar de o sol nos provocar, aparecendo por entre as nuvens, bafejando-nos com um convite insinuante, passamos apenas de longe, onde está quente e seco, confortável e seguro.

Mas a praia é tão atraente no Inverno.

Também deves gostar disto

1 comentários

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal