Pessoas estranhas #19 - os comentadores de sofá

quarta-feira, junho 15, 2016

As redes sociais deram origem a uma nova profissão, pouco honrada, que é ser comentador de sofá. Por trás de um ecrã de um computador ou de um telemóvel há umas certas pessoas que andam de peito feito cheias de coragem para pôr e dispor de tudo e mais alguma coisa. Eles não apoiam nada e têm a difícil missão de discordar de absolutamente tudo. Engraçado, onde é que esta gente andava antes das redes sociais? Porque não andavam em manifestações, nem a fazer reclamações ou a fazer cumprir a lei, ou em blogues... Saíram todos de debaixo de uma pedra bastante frustrados com a vida, a disparar para todo o lado.

Estava ontem a ver uma notícia sobre a proposta do PAN de colocar opções vegetarianas nas cantinas (o que é óptimo, e é uma opção, não uma imposição) e vários comentadores de sofá se levantaram contra a mesma. "Os meus filhos não são vacas para andar a comer erva", "olha os políticos armados em nutricionistas" e mesmo insultos demasiado impróprios até para mim foram proferidos. Por causa de uma opção saudável. Santa ignorância.

Quando é anunciado um concerto em Lisboa, o pessoal do Porto queixa-se que é excluído. Quando é marcado um concerto no Porto, o pessoal de Lisboa diz que estas coisas deviam ser sempre na capital, que é mais acessível a todos. Quando é anunciada uma medida que tira aos ricos para ajudar os desfavorecidos, o Estado é ingrato e ladrão. Quando se acabam com os canis de abate, está mal, porque primeiro se devia dar atenção às pessoas. Quando se tiram os feriados, estão a tirar a alegria e o descanso ao povo. Quando são repostos, é porque o Costa é calão e não gosta de trabalhar. Quando um humorista faz humor, é acusado de ser uma porção de coisas nada abonatórias. Quando há um atentado horrível numa discoteca gay, os comentadores de sofá manifestam alegria por existirem "menos pedófilos" por aí. Quando se andam a capturar animais de rua para os esterilizar e devolver às colónias controladas, tá mal porque é errado os animais serem devolvidos à rua. Mas quando é para partilhar ou passar a palavra para promover uma adopção assobiam e passam para o outro lado da rua.

As redes sociais, especialmente o Facebook, são uma doença, um vírus que espalha estupidez e desinformação. Os comentadores de sofá, essas pessoas de merda que até criticam o ar que respiram, são bactérias nocivas e podíamos muito bem passar sem eles. Transportam negativismo, são transmissores da "má onda" e devem ter uma vida frustrante onde até um raio de sol num dia de chuva é mau. E a melhor parte é que são especialistas em criticar, mas agir, tá quieto. Apontar o dedo, achar males e encontrar buracos é a sua especialidade. Não esperem deles que resolvam alguma coisa.

Devem passar a vida a fazer refresh no Facebook para ver qual é o próximo alvo a criticar. Até suam as estopinhas para achar os melhores assuntos para ser do contra. Arranjem a porra de uma vida!




Também deves gostar disto

0 comentários

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal