Boas ideias #7 - vias para quem anda rápido

quinta-feira, julho 28, 2016

Ando muito rápido. Não consigo andar devagar. Primeiro, porque é-me fisicamente penoso - andar devagar faz-me doer as ancas e as costas. Não sei se são consequências da hérnia, mas é a verdade. Não consigo fazer passeios mega lentos de média ou longa duração, consigo no entanto fazer quilómetros e quilómetros em passada rápida ou a correr. Quando calha cruzar-me com algum colega no caminho para o trabalho ou de lá vinda, já calhou dizer "Epá, tu andas muito devagar para mim. Vou andando." Tenho amigas tão lentas que já sabem que não vale a pena convidar-me para caminhadas preguiçosas. Não.

Segundo, porque sou stressada e activa. Andar rápido é ganhar tempo, principalmente aos dias de semana. Quanto mais depressa chegar ao trabalho, mais depressa saio de lá e faço coisas de que realmente gosto. É para despachar o assunto, não é para pastelar. Portanto, sim, sou daquelas pessoas que quando apanham alguém a ocupar o passeio todo e a andar tipo caracol fica furibunda. Aperto os dentes de cima contra os de baixo, mordo a língua e até chego a rosnar levemente. Suspiro alto e dou a volta por fora pelos estacionamentos ou pela estrada porque simplesmente não aguento.

As minhas idas para o trabalho, à hora de ponta, é um ziguezaguear impecável, um ping-pong metódico até chegar ao meu destino. Ultrapassagens atrás de ultrapassagens. Se fosse estrada já tinha sido multada.

Sendo assim, e finalmente chegando ao cerne da questão, em Liverpool fizeram vias para quem, como eu, anda rápido. Os caracóis, caracoletas, preguiçosos ou pessoas no lazer ficam de fora. Que sonho. Que ideia espectacular para importar. Curiosamente, a faixa etária entre os 16 e os 24 achou uma ideia fantástica, enquanto as outras nem por isso. Só por esse dado já me sinto mais jovem!

Fonte: Independent

Também deves gostar disto

6 comentários

  1. Quando era miúda num Natal, a subir o Chiado (ainda com circulação de carros), quis subir depressa. Resultado: dei encontrões numa data de gente. Agora, mais "crescida", ando mais devagar, mas tb não suporto os que ocupam todo um passeio! Fez-me lembrar a forma do meu pai andar que se recusava a pastelar! :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeito os "pastéis" e até os admiro - devem ser menos stressados do que eu, com aquela calma que sobrevive a toda a prova... Mas não fui mesmo feita para pastelar e às vezes também acontece isso, vou aos encontrões e acabo por passar por malcriada. Obrigada pela visita :)

      Eliminar
    2. Esqueci-me efectivamente da parte em que Chiado acima, quem ouviu os comentários sobre a miúda malcriada que tinha passado foi a minha mãe, que chegou ao pé de mim vermelha e lá ouvi eu!

      Eliminar
  2. A ideia é excelente e bastante curiosa, e também eu sofro do mesmo problema como caminhante na cidade de Lisboa, mas não me esqueço de um documentário sobre Veneza, que nos mostrava um veneziano a tentar chegar ao trabalho furando pela multidão de turistas nas ruas, que o impediam sempre de chegar a horas.
    Em Santa Mónica, Califórnia encontrei três vias: bicicletas, patinadores e pedestres, todas lado a lado e ninguém transgredia.
    Bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode crer que é muito frustrante, sinto-me um bocado como esse veneziano :) A ideia de Santa Monica é excelente, mas por lá têm aqueles passeios enormes! Obrigada pela visita, bom fim-de-semana :)

      Eliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal