Nunca me fartei tanto de estar deitada

quarta-feira, janeiro 15, 2014

E isto é apenas o início. O repouso pós-operatório é tortura. São pelo menos duas semanas sem me poder sentar e mais um mês de ai-jesus. A minha vida tem sido uma variação entre estar deitada de lado ou de barriga para cima. O meu corpo está tão farto que já me ofereceu feridas no rego do cu. Portanto agora o pouco tempo que posso passar de pé também já está minado, visto que o roçagar das bordas uma na outra me faz piar fininho.

São só chatices. É a tensão que baixa assim de repente e começo a suar que nem um cavalo e a desfalecer, principalmente quando estou a fazer força para cagar. É não me poder baixar, principalmente no dia em que me vem o período. É depender de outra pessoa para tudo, tudo mesmo, e visto a outra pessoa ser o meu namorado, as coisas poderão nunca voltar a ser sexy novamente depois do que ele está a fazer por mim... vou ter de me esmerar muito quando estiver boa para trazer de volta o sex appeal, ao nível de lhe oferecer uma cena a três ou um passe mensal para uma puta.

Ainda só passaram cinco dias desde a cirurgia e parece que estou colada ao sofá há três anos. O meu pescoço está formatado para esta posição, o sofá já tem uma cova no local onde pouso a peida e já vi mais do Goucha nestes dias do que devia ter visto na vida toda. Se tivesse uma máquina do tempo não hesitaria em avançar um mesito, não sou pessoa para isto. Quero ir jogar à bola, ir a concertos, viajar, fazer amor, fazer exercício, trabalhar, quero ser normal outra vez! E principalmente, deixar de ter feridas no rego do cu por estar sempre deitada. Conseguir estar sentada dois minutos seguidos para dar uma cagada como deve ser também seria porreirinho.


Também deves gostar disto

0 comentários

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal