Sou uma gaja diferente das outras

sábado, março 08, 2014

Não sou romântica.
Não gosto de receber flores. Afinal, elas vão morrer e só me lembram que tudo tem um fim.
Não gosto de receber bombons. Gosto de escolher a minha droga.
Não me emociono facilmente.
Não gosto de frases feitas.
Não sou dada a muitas demonstrações físicas de afecto.
Não gosto de filmes românticos.
Casar não é nem nunca foi um sonho.
Não quero ter filhos.
Não gosto de bebés e de crianças no geral. Tolero-as se estiverem caladas.
Nunca fiz e nunca hei-de fazer dietas, comer fruta, vegetais e essas merdas que as pessoas hoje em dia engolem.
A minha refeição favorita é bitoque com ovo a cavalo. A segunda são bifanas das rolotes em dias de jogo.
Gosto de jogar Playstation, de beber jolas e de ver porno.
Percebo de futebol.
Dou arrotos e peidos sem qualquer vergonha.
Digo palavrões a dar com o pau.
Gosto de levantar ferro no ginásio.
Gosto do obscuro, de filmes de terror, de sangue, de paranóias, da morte, do medo.
Gosto de música pesada e visto-me quase sempre de preto.
Não me maquilho, não uso saltos altos e é uma sorte se me pentear antes de sair de casa.
Por vezes gozo com os outros e sou mázinha.
A minha saída à noite ideal envolve moche e headbanging.
Odeio homens cavalheiros.
Perco a paciência facilmente e tenho vontade de bater em alguém todo o dia.

Portanto, não correspondo ao que é considerado normal numa mulher. Muita gente me acha piada exactamente por ser assim e não me estou a lembrar de ninguém que se tenha afastado por eu ser desta maneira. Uma coisa é certa - eu sempre fui assim. Nunca menti a ninguém em relação a isso e pus sempre tudo em pratos limpos. Eu não mudei. Não sou diferente da pessoa que era há 10 anos atrás. Não prometi nada que não cumprisse. Por isso fico lixada se me acusam de ser fria, insensível, e de não ter coração. Porque apesar de não me emocionar com filmes rascas sobre o que deveria ser o "amor", nem ficar tocada com romantiquices pirosas, a emoção chega até mim de variadas formas.

Emociono-me com a natureza.
Com a música.
Com actos de bondade e nobreza.
Com um bom livro.
Com um bom filme.
Com gestos de amizade.
Com o amor que foge aos padrões.
Com os animais.
Com a arte.

Não sou de ferro. Sou apenas uma mulher diferente, independente e orgulhosa.
Cada uma é como é, e perfeita na sua condição.
Feliz Dia da Mulher a todas nós.


Também deves gostar disto

0 comentários

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal