The Lizard King, para sempre

domingo, julho 03, 2016


Como é possível? Jim Morrison morreu exactamente há 45 anos. Este génio que partiu cedo, tão cedo, influenciou e continua a influenciar gerações que nasceram muito tempo depois se ele falecer, eu incluída. Porra, como isso é épico. Porra, como o adoro. O seu carisma que enchia salas, o seu mau génio aliado a uma inteligência fora de série e a uma sensibilidade artística e emocional tornam-no num dos mais icónicos músicos de sempre. E não só. Era um poeta, um frontman único, a voz do que muitos queriam dizer e não conseguiam, um instigador, um sex symbol, provocador, revolucionário, dramático, rebelde.

Ouço a música dos The Doors desde que me lembro e não se esgota, não cansa, não enjoa. Admiro-os, venero a sua eternidade, e Jim, The Lizard King é o apogeu de tudo o que eu adoro num artista. Por amor da santa, tenho um poster dele em grande destaque na minha sala. Cortei o cabelo tendo o dele como inspiração. Tenho tshirt's dele. Ando a pensar tatuá-lo há anos (e do ano que vem não passa). Visitei o túmulo dele. A maior das minhas admirações eternas. Nunca em tempo algum alguém como ele pisará este planeta. 3 de julho é sempre uma data triste. But is not the end.

Também deves gostar disto

2 comentários

  1. Jim Morrison and The Doors que dizer? Ele Jim foi o poeta e o visionário e nada melhor para o entender do que escutar esse álbum póstumo intitulado "An American Prayer", depois são todos os temas escritos para essa banda inesquecível chamada The Doors. Jim Morrison é um nome incontornável no universo poético!

    ResponderEliminar
  2. Imagine só como seria o seu legado hoje, caso não tivesse falecido com 27 anos! Parece que o universo conspirava para que ele derramasse cá para fora tudo o que tinha...

    ResponderEliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal