A polícia americana anda com o dedo leve...

terça-feira, agosto 23, 2016

Depois dos recentes disparos à queima-roupa que tiraram a vida a jovens negros americanos e que revoltaram a comunidade, eis agora mais um caso surreal.

Daniel Harris foi mandado parar pela polícia por excesso de velocidade só que ele era... surdo. Como não ouviu as sirenes e os avisos sonoros, tarde se apercebeu da perseguição que lhe estava a ser feita. Quando finalmente percebeu, parou o carro e começou a gesticular para se explicar, o que foi tomado, não sei como, como "um ataque" e imediatamente dispararam e mataram-no.

Como Daniel estava quase a chegar a casa, vários vizinhos foram testemunha da situação, e relatam que ele tentou comunicar gestualmente durante uns segundos antes de ser abatido. Não sei qual seria a deficiência mental do agente, mas para confundir linguagem gestual com qualquer tipo de ataque espero que tenha no mínimo um coágulo no cérebro para o justificar.

Estamos num mundo bem lixado, onde todos desconfiam de todos e os nervos estão à flor da pele, mas porra, é a autoridade que tem de dar o exemplo. Há que manter a calma e ter sensibilidade para descortinar em que situação está enfiado antes de atirar a matar. Têm de ter treino e estar preparado para todas as situalções e principalmente para defenderem os inocentes. Desde quando um homem desarmado e a comunicar por linguagem gestual pode ser considerado uma ameaça? É que assim todos somos suspeitos e todos corremos o risco de levar com um balázio nos cornos.

E depois nada acontece a estes homens. O agente ficou com licença administrativa e pronto. E é assim, Daniel é apenas um dano colateral deste mundo, uma morte a juntar às muitas que ficam por justificar.

Fonte: Independent


Também deves gostar disto

0 comentários

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal