Afinidades Eternas

sexta-feira, março 19, 2010


"Não é possível cortar para sempre com tudo o que nos liga a pessoas que pensam verdadeiramente como nós. Acabamos sempre por voltar a estar de acordo nalgum ponto. Com os que pensam de maneira deveras contrária à nossa é baldado o esforço para manter algum acordo, porque acaba sempre por se desfazer."

Goethe, in "Máximas e Reflexões"


Aproximamo-nos como ímans, e separamo-nos à primeira descarga eléctrica. Ciclo vicioso e inadiável da nossa tendência para nos aproximarmos dos nossos semelhantes. Se os pensamentos seguem a mesma linha, várias descargas eléctricas voltarão a acontecer, é inevitável, assim como nos juntarmos. Estamos a perder cada vez mais a paciência e o jeito, e o discernimento, para lidar com quem não reflecte qualquer sentimento de partilha, e as faíscas simplesmente não acontecem. Conforme envelhecemos, mais evidente se torna, queremos passar o nosso tempo com quem realmente nos identificamos.

Também deves gostar disto

1 comentários

  1. As afinidades são realmente eternas. Como conversámos ontem, é bom saber que há laços que nos ligam, maneiras de pensar idênticas, sentimentos comuns. É bom saber que essas pessoas estão lá, a qualquer hora, a qualquer momento. Quanto aos outros, é deixá-los ir.

    ResponderEliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal