Canibal

segunda-feira, julho 02, 2012

Conhecer um ídolo é daquelas coisas. Daqueles momentos que não vamos esquecer nunca por mais anos que vivamos. Seguimos o trabalho de alguém durante tanto tempo, idolatramos tudo o que fazem e temos um apreço inestimável por tudo o que lhes sai da boca e dos poros. Há dias tive a oportunidade de conhecer um ídolo. Não acreditei quando subi ao backstage para conhecer o Adolfo Luxúria Canibal. Épico, brutal, inesquecível. O poeta, cantor, vocalista dos Mão Morta desde 1984, advogado, dono de uma das poucas vozes que me revolvem as entranhas. Falei com ele, toquei-lhe, tirámos fotos. E para comemorar deixo aqui uma das centenas de letras das suas músicas inconfundíveis que me aquecem a alma:


"Estou sujo,
Roído de piolhos,
Os porcos quando olham pra mim vomitam.
(...)
Duas medusas atravessaram os mares
Imediatamente atraídas por uma esperança que não foi iludida
Olharam com atenção as duas partes carnudas
Que formam o traseiro humano
E colando-se ao seu condutor do convexo
Esmagaram ...tanto por uma pressão constante
E os dois pedaços de carne desapareceram
Ficando lá dois monstros saídos do reino da viscosidade
Iguais na cor, na forma, e na ferocidade.

Não falei da minha coluna vertebral, porque é uma espada.
Sim, sim, estava distraído A vossa pergunta tem toda a razão de ser.
Desejais saber "Não é verdade? como é que ela se encontra verticalmente implantada nos meus rins?"
Nem mesmo recordo muito claramente.
No entanto, se me decidirem tomar por lembrança
Que talvez não passe de um sonho
Sabei que o Homem, quando soube que eu tinha feito o voto
De viver com a doença e a imobilidade
Até vencer o Criador, veio por trás de mim, pela ponta dos pés
Mas não tão levemente que eu não ouvisse
Não percebi mais nada durante um instante que não foi longo
Aquele que tinha aliviado espetou-se até ao carro
Por entre as duas espádulas do torro de morte
E a sua....estremeceu como um tremor de terra
A lâmina adere fortemente ao corpo
Que ninguém até agora a conseguiu extrair
Os atletas, os mecânicos, os filósofos, os médicos
Tentaram cada um por si os meios mais diversos

 Não sabiam que o mal feito pelo Homem não pode mais ser desfeito."


"A Porcaria"



Também deves gostar disto

1 comentários

  1. Oláa :) Era só para informar que abandonei o meu antigo blog, onde tu eras seguidora, por isso decidi postar aqui um comentário e deixar-te com o link do meu actual blog : http://caa-vidaempalavras.blogspot.pt/ . Espero que gostes, e aguardo por ti :) Já te estou a seguir, beijinhos*

    ResponderEliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal