Não existe nada melhor que o início das relações

terça-feira, janeiro 31, 2017

Tenho uma vizinha na casa dos 60, viúva de há muitos anos, e que recentemente perdeu também um namorado para o maldito cancro. Há dias encontrei-a, feliz novamente, e lá me explicou os seus amorosos motivos. Tinha conhecido outro homem num cruzeiro e estavam a namorar.

E garantiu-me: "quem acha que o amor é diferente aos 20 ou aos 60 que se desengane. Amor é amor. Podemos conhecer-mo-nos de maneira diferente e viver uma relação diferente, mas as borboletas na barriga são as que eu me lembro de ter quando era jovem. Isso não muda. Eu julgava que o amor tinha acabado para mim, mas meti na cabeça que não havia de parar de fazer coisas, viajar, entreter-me e olha, foi exactamente num cruzeiro, a laurear a pevide, que o fui conhecer".

Contou-me mais sobre ele, que é algarvio, que adora estar com ele na casa de Quarteira e poder acordar e olhar para o mar junto dele. E garantiu-me que, seja também em que idade for, aquela fase do início da relação, em que se estão a conhecer, a impressionar o outro, a fazer surpresas, é a melhor. No dia anterior ele tinha feito centenas de quilómetros para a surpreender e tomar o pequeno almoço com ela. E a alegria dela, e o orgulho dela, o brilho no olhar, fizeram-me escrever este texto.

Não sou muito do amor (nada) nem de sentimentalismos, mas fico contente pelos outros, especialmente pelos mais velhos que não se deixam abater depois de uma vida de adversidades. Quem me dera continuar sempre assim, a cair e a levantar-me, como ela, sem parar nunca, porque parar é que é morrer. E apesar de não estar num início de uma relação, fico contente por ainda ter as borboletas sempre que o vejo, sempre que andamos à porrada ou a gozar um com o outro (isto há muitas formas de amar). Quando não me mói o juízo com merdas, claro.




Também deves gostar disto

5 comentários

  1. É bom encontrar o amor, qualquer que seja a idade! Desengane-se quem pensa o contrário!

    ResponderEliminar
  2. Foi uma lufada de ar fresco ouvir estas coisas :)

    ResponderEliminar
  3. Fiquei mais invejosa do cruzeiro e da casa na Quarteira do que do Amor, propriamente dito... Nem sei o que isto quer dizer em relação à minha costela romântica :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim hoje nem me apetecia cruzeiro, nem Quarteira, nem amor :P só queria estar isolada do universo por um ano, pode ser?

      Eliminar
    2. Acho que se responder a este teu comentário estou, na realidade, a ir contra o teu desejo...mas Q'SA LIXE!

      Um cruzeiro, num bote para um, pode ser a solução para os teus problemas!

      Eliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal