Black Butterfly

terça-feira, novembro 21, 2017

Neste filme de maio deste ano, Antonio Banderas interpreta Paul, um escritor que vive numa área isolada. Um dia, é ameaçado por um condutor de camião, e um forasteiro, Jack, defende-o. Agradecido, Paul acaba por oferecer ao desconhecido o seu quarto de hóspedes durante o tempo que este precisar.

Paul enfrenta um período menos bom na sua carreira, completamente sem ideias novas para escrever, e Jack, conforme lhe ganha a confiança, estimula-o a continuar e, sobretudo, a manter-se sóbrio, para que se possa tornar um escritor melhor.

No entanto, o passado atormentado do escritor não o deixa pôr a bebida de lado. A convivência com o forasteiro vai atingir um ponto sem retorno quando este começa a ser demasiado intrusivo, a dar-lhe ordens, a dizer-lhe o que pode fazer, a quem deve abrir a porta, e até mesmo o que escrever. Paul apercebe-se que dar-lhe guarida foi um erro e vai tentar remediar a situação pelos próprios meios.

Este filme foi uma bela surpresa - primeiro, porque vemos Banderas fora do seu registo normal dos filmes de ação e aventura; segundo, porque a história é surpreendente e deixa-nos na dúvida até ao fim. Mesmo depois de acabar, ainda temos dúvidas. Não é que seja confuso - mas acontecem coisas inesperadas que nos fazem indagar o que é real ou não.

Jonathan Rhys Meyers está fantástico na pele do forasteiro e a sua óptima prestação faz subir a tensão ao limite e cria também a dúvida se havemos de gostar dele ou não. Mas está tão confortável na sua pele que gostamos de qualquer maneira, mesmo que se revele, ou não, um filho da mãe.

Também deves gostar disto

2 comentários

  1. Faltou dizer que foi o teu namorado que te aconselhou ver o filme :)

    ResponderEliminar
  2. Sim, o meu querido achou que parecia saído da mente do Stephen King e que eu ia gostar :) <3

    ResponderEliminar

Seguir por email

Visitantes

Blogs Portugal